Crise na economia surge um novo modelo popular de farmácia e drogaria

Depois do surgimento dos planos de saúde com mensalidades mais baratas, a crise agora impulsiona o crescimento de farmácias com o modelo popular. As redes oferecem, no mínimo, 10% de desconto em relação à média do mercado, e para medicamentos genéricos o abatimento não é inferior a 45%. O faturamento do segmento cresceu 83,44% em um ano, segundo levantamento da Associação Multimarcas de Farmácias (Farmarcas). O resultado foi obtido pelas redes Ultra Popular, Super Popular e Maxi Popular, que movimentaram R$683 milhões, em 2016. De olho na crise, as redes populares adotaram modelo para oferecer medicamentos e produtos de higiene pessoal a preços mais baixos ao consumidor, através de redução de margens de lucro e de negociação coletiva com laboratórios, fornecedores e até empresas de cartão de crédito.

— Temos uma proposta de baratear nossos custos e conseguir reduzir os preços para os clientes. Não somos uma farmácia de serviços. E, por isso, não oferecemos entrega em domicilio, atendimento telefônico e não trabalhamos 24 horas. O próprio tamanho do estabelecimento é menor — explica Edison Tamascia, presidente da Farmarcas, acrescentando que já existem lojas em 18 estados.

Entidades de defesa do consumidor alertam que mesmo entre farmácias da mesma rede, o remédio pode custar até quatro vezes mais.

— Não deixe de pechinchar. Caso prefira a compra online, cuidado para não ser vítima de medicamentos falsificados. Tome algumas precauções. O endereço eletrônico da farmácia deve ter “.com.br” e deve conter na página principal todas as informações do estabelecimento, como a razão social, endereço, CNPJ, horário de funcionamento, telefone, nome e número de inscrição no Conselho Regional de Farmácia (CRF) do Responsável Técnico e Licença ou Alvará Sanitário —orienta Lívia Coelho, advogada e representante da Proteste.

Atenção consumidor

Precaução

A primeira orientação é que a embalagem esteja lacrada com a rótulo em português.

Informação

A embalagem deve apresentar o prazo de validade, data de fabricação, número do lote e as advertências sobre o produto.

Líquidos

Medicamentos de apresentação na forma líquida, como soros e xaropes devem vir sempre com lacre.